sábado, 14 de março de 2009

Trabalho Alienado


O Trabalho Alienado é o termo descrito por Karl Marx que afirma que o trabalhador não mais é dono da mercadoria que produz, tornando-se alienado em relação sua a função e com isso proporciona a desestruturação do mercado fazendo com que o trabalho ganhe sentido de lucro propriamente dito, e nada mais.

O operário não desempenha uma atividade física e intelectual livre, mas mortifica seu corpo e arruína seu espírito.

À medida que o sujeito não conscientiza-se de que aquilo que está produzindo não é um produto que trará satisfação para ele, e muito menos trará benefícios, nesse momento ele realiza um trabalho alienado, pois o trabalhador deve ter controle da mercadoria que produz.

Imaginemos um montador de carros, daqueles que coloca uma única peça, e que um segundo coloca mais outra e assim sucessivamente; o mesmo não terá o produto que produziu, sendo que muitas vezes num sabe nem quantos carros produziu, com salário abaixo da média assim como acima da média também estará realizando um trabalho que não trará benefícios. Pensemos agora o gerente dessa montadora, se ele está no cargo por dinheiro e cobiça, está em um trabalho alienado, agora se ele é um gerente que gosta de comandar e faz isso com responsabilidade e sente satisfação por isso, trazendo lucro para empresa e justiça para seus subordinados desempenha um trabalho satisfatório, e seu produto de trabalho nada mais é que a satisfação de seus comandados, e a gratidão de seu chefe.

Marx traz o conceito de ‘Mais Valia’ que nada mais é o lucro dado pelo funcionário. Como se dá esse lucro? Através do trabalho escravo afirma o pensador.

Comentário: Nunca o capitalismo esteve tão selvagem, um assunto atualíssimo no meio acadêmico e que todos deviam ter conhecimento. Como um trabalho se torna alienada? No momento em que não se tem satisfação com o produto de seu trabalho. Como seria esse produto? Se o indivíduo está numa empresa de carros, o produto será o carro, se está numa empresa de tecidos, o produto será o tecido, mas esse produto também pode ser não físico, como um vendedor autônomo que passa na rua, ou um motorista de ônibus. È possível que esse motorista tenha satisfação no trabalho? Claro, se ele realiza com desejo de dirigir, não tendo a ambição de receber mais que um motorista, ele produz com alegria. Então fica claro de onde vem a satisfação, não sendo o trabalho que traz a satisfação, um pescador pode ser bem mais satisfeito com o que faz do que um empresário de sucesso. Conscientizemo-nos, não deixemos que o mundo mande o que devemos fazer e sim tenhamos coragem de sermos líderes de nossa vida. Quando se trabalha com vontade, a vontade que se tem é de se trabalhar sempre. O autor de “O CAPITAL” Karl Marx afirma: se o produto do trabalho é alienado do trabalhador, por ser algo exterior a ele, a ponto de não lhe pertencer, deve ser então propriedade de outro, que não é evidentemente quem o produziu, nem os deuses e muito menos a natureza, como pensavam os antigos, então logicamente deve ser outro homem que tomou dele aquilo que deveria lhe pertencer, tornado-se assim produto do meio, e na palavra do pensador, torna-se assim o homem ‘mercadoria’.

Agradeço os comentários de dúvidas. geraldopsico@hotmail.com grato.

"Quem olha para fora sonha, quem olha para dentro acorda."

(Carl Gustav Jung)

1 comentários:

me ajudou muito, obrigado